29 de dez de 2012

Melhor Hambúrguer da Cidade: Hamburgueria do Sujinho - O Retorno

Essa é a história de "um garoto que conhece uma garota". Ele é um cara comum, com vinte e poucos anos, uma meia dúzia de ilusões e outra dúzia de problemas de auto-estima. Ela foi descrita pelos amigos dele como a garota perfeita - linda, inteligente, charmosa, e capaz de citar todos os filmes de John Hughes em ordem cronológica de trás para frente. Ele desacreditou, desdenhou, não acreditou, até o dia em que os amigos finalmente arranjaram um encontro entre os dois. No dia seguinte, em um bar, ele estava tomado por duas certezas: a) a noite anterior havia sido a melhor de sua vida; b) ele não ia ligar mais para ela, pois a partir daí ele descobriria todos os erros, falhas e problemas dela. 

Ele sou eu. Ela é a Hamburgueria do Sujinho, dona de um lanche pelo qual eu me apaixonei em outubro e nunca mais tinha comido. Até meados de dezembro, quando voltei à casa do bairro da Consolação acompanhado do André Bina e do Vinicius Olmos, em um jantar que antecipou uma viagem ao interior regada a muita Coca-Cola, sinuca e biribol. 

Logo de chegada, temi pelo pior: havia esquecido que o Sujinho não tem Coca-Cola (fui de Soda Limonada Antarctica), e a porção de batatas fritas que pedimos, apesar de bem servida, não estava tão bem feita como outrora, chegando à mesa com alguns palitos menos fritos do que o recomendável. Entretanto, como o mundo é bom, elas vinham acompanhadas da maionese da casa, uma maravilha em forma de molho. 

As coisas seguiram bem quando me lembrei de um velho ensinamento do meu pai: a virtude está no caminho do meio. Sendo assim, decidi não repetir o lanche da última visita (um X-Maionese de 90g de carne de alcatra), nem apelar para algo muito diferente, como queijo cheddar, alface ou champignons. Fui com um Sujinho Pic Burguer clássico, um hambúrguer de picanha de 150g cuja primeira mordida é o equivalente gastronômico ao primeiro beijo que você troca com a garota no segundo encontro, depois de terem se dado oi apenas com beijinhos no rosto. 

E não é para menos: se o X-Maionese era um lanche cativante, que mostrava a beleza das coisas pequenas da vida, o Sujinho Pic Burger é arrebatador. Amparada por um bom pão e um queijo derretido na medida, a carne é um deleite para aqueles que entendem a singeleza de um bife sangrento e cheio de sabor, bem temperado, que chega até a poder dispensar a grande maionese do Sujinho. É um lanche que, assim como um bom beijo, você não quer que termine, e faz esquecer até aqueles pequenos defeitos - a ausência de Coca, o fato dela preferir Bob Dylan a Neil Young e Chico a Caetano, o fato de não poder pagar em cartão, uma ou outra piada fora de hora... 

Mais do que apenas um grande lanche, o Sujinho Pic Burger é uma grande lição: desistir de algo (um amor,  um filme que te marcou, um livro ou um lugar) só porque a primeira vez foi boa demais é um erro. Cedendo ao clichê, é melhor tentar de novo (e queimar) do que viver só da lembrança (e deixar cair). Aos amigos, digo: eis o melhor lanche de 2012. O primeiro a conquistar 5 fatias de bacon neste espaço. E o único lanche capaz de me fazer levitar ou dançar pela cidade assim: 



Nota: 5 fatias de bacon

1 - Sujinho Pic Burger Maionese, Hamburgueria do Sujinho - Consolação (5)
2 - X-Maionese, Hamburgueria do Sujinho - Consolação (4,8)
4 - X-Maionese, Milk & Mellow - Itaim (4,25)
5 - X-Bacon Maionese, Lanchonete D'Sampa - Brooklyn (4) 
18 - #1, The Rockets - Jardim Paulista (1,5)
19 - Taipas 4, Hamburgueria São Caetano - São Caetano (1,5)
20 - X-Maionese, Hamburgueria São Caetano - São Caetano (1)

Um comentário: