2 de set de 2012

Melhor Hambúrguer da Cidade: Lanchonete da Cidade

Um dos maiores dilemas do jornalismo gastronômico, dizem por aí, é a questão do jornalista/veículo pagar pela comida consumida - comer de graça é algo que deixa qualquer pessoa com algum bom senso feliz, o que obviamente atrapalha a isenção de quem está escrevendo sobre aquele prato. Foi nesse tipo de coisa que fiquei pensando enquanto ia para a Lanchonete da Cidade (na filial do Itaim, em uma das ruas mais caras de São Paulo, a Amauri) na sexta-feira, depois de ganhar de presente na redação do iG dois vales para comer um lanche novo da casa, acompanhado de uma sobremesa. Dito isso, deixando o jogo aberto com o leitor, vamos à mesa. 

Habitada por engravatados, coxinhas e endinheirados em geral (como as pré-adolescentes da mesa ao lado que trocavam presentes da Daslu), a Lanchonete da Cidade é o que pode se chamar de hamburgueria de grife. Acompanhado da amiga Camila Leal (dona da minha segunda casa, na Vila Mariana), pedimos de saída uma Batata Rústica (R$14,50), entrada tradicional da casa. 

Cortadas à moda portuguesa (em rodelas), e acompanhadas de dentes alho frito e alecrim, as batatas vem bem fritinhas, naquele ponto certo entre a crocância da casca e o interior molinho. Uma belezinha - especialmente porque o prato considera o alho como um ingrediente, e não apenas um tempero. Junto da batata, uma Soda Antarctica - sim, o local tem apenas refrigerantes da Ambev (e eu tive de ouvir o irritante "Pode ser Pepsi?" mais uma vez. Malditos publicitários). 

Confesso que fiquei um pouco confuso quando me falaram, tempos atrás, que o carro-chefe da Lanchonete da Cidade era um lanche chamado Bombom (que contém 220g de carne, molho de tomate e complementos à escolha, custando no mínimo R$ 23,50). Exclusivo da unidade do Itaim, o Bombom Black (R$32) é uma versão ainda mais elitizada do Bombom, embora mais econômica - trata-se apenas de um sanduíche com pão, carne e queijo. Porém, meus amigos, que pão, que queijo e que carne! 

Levíssimo, o pão (que mais parece um bagel) é um contraponto perfeito à porrada no estômago que são os 220g de carne selecionada, que chega da chapa tostada por fora e muito sangrenta por dentro. O queijo mussarela, bastante derretido, cumpre bem a função de dar liga ao lanche, juntamente com parte do sangue que sai da carne, deixando o Bombom Black bastante longe de ser seco. 

Saboroso do primeiro ao último pedaço, o Bombom Black dispensa dois dos cinco ingredientes básicos para se avaliar um lanche (pão, carne, queijo, maionese e bacon) e conquista com louvor o primeiro lugar do Melhor Hambúrguer da Cidade, perdendo apenas meia fatia de bacon por seu preço (R$32 é uma facada, concordemos, em termos de custo-benefício) e pela quantidade exagerada de carne - 180g estaria de muito bom tamanho. 

Nota: 4,5 fatias de bacon

Ranking MHC Pergunte ao Pop (work in progress):

1 - Bombom Black, Lanchonete da Cidade - Itaim (4,5)
2 - X-Bacon Maionese, Lanchonete D'Sampa - Brooklyn (4)
3 - X-Bacon Maionese, Rock & Burger - Galeria do Rock (3,5) 
4 - X-Bacon Maionese, The Fifties - Itaim (3) 
5 - Barbecue Burger, America - São Caetano (2,5)
5 - Maracanã Burguer, Cervejaria Nacional - Pinheiros (2,5)
7 - Gran Burger BBQ, General Prime Burger - Itaim (2)
8 - #1, The Rockets - Jardim Paulista (1,5)

Nenhum comentário:

Postar um comentário