6 de fev de 2013

731 Dias

"Eu tinha dezessete dólares na carteira. Dezessete dólares e o medo de escrever.
Sentei-me ereto diante à máquina e empurrei os dedos. Comecei a escrever e escrevi".
(John Fante,  Sonhos de Bunker Hill)

Dizem que os bebês começam a entender melhor o mundo e passam a ser capazes de se expressar minimamente bem com palavras e frases curtas quando atingem os dois anos de idade. Não sei exatamente se isso é verdade, mas acho que essa é uma boa metáfora para explicar o que foram esses dois primeiros anos do Pergunte ao Pop, completos nessa quarta-feira de tempo medíocre em São Paulo. 

Quando criei o blog, no começo de 2011, eu estava carente de um lugar para escrever após o término do Pop to the People e extremamente inseguro das minhas habilidades como escritor, jornalista ou mero escrevinhador de notícias. 731 dias depois disso, cá estou eu: ainda incerto do que posso de fato fazer, mas com alguma meia dúzia de textos bacanas debaixo do braço e experiências bacanas dentro da cachola - muitas delas vocês acompanharam por aqui, como as viagens, os hambúrgueres e os muitos shows que este blog viu desde aquele momento. 

É bastante provável que este seja o último texto inédito deste blog nos próximos dias: neste sábado, embarco para Lisboa e devo ficar alguns dias fora do ar. Assim que me acostumar com o frio e o sotaque, porém, volto a mandar notícias e escrever textos falando das coisas legais de lá, mas sem esquecer do que rola por aqui. Vai ser um semestre e tanto (volto apenas no final de Junho), mas podem ficar tranquilos que este blog não morrerá. Com sotaque português, we still hope you enjoy the show. :). Como diz uma das minhas canções favoritas desse início de 2013, "se é pra acontecer, pois que seja agora!".


"Olhei e molhei meus lábios. Não eram palavras minhas, mas que diabo, 
um homem tinha de começar por algum lugar"
(John Fante,
 Sonhos de Bunker Hill)

Nenhum comentário:

Postar um comentário