23 de mai de 2013

No S&Y: José Barreiro, do Primavera Porto

Entre os dias 30 de maio e 1º de junho (daqui a uma semana!), a cidade do Porto, em Portugal, receberá a segunda edição do Optimus Primavera Sound. Depois de sediar grandes shows de Wilco, Spiritualized e Suede em 2012 e receber 50 mil pessoas (com 70% de estrangeiros) em três dias de evento, o festival conta nesse ano com atrações de peso, como Blur, My Bloody Valentine, Nick Cave & The Bad Seeds, James Blake e Grizzly Bear. 

“A grande novidade de 2013 é o nosso cartaz, e nele baseamos nossas expectativas na subida do número de expectadores”, avalia o diretor do festival, José Barreiro, que ainda vê como destaques as apresentações de Daniel Johnston, Breeders e a participação da All Tomorrow’s Parties e da Pitchfork como curadores do evento. “Ficamos orgulhosos de ter essas instituições ao nosso lado já na segunda edição, porque sabemos que eles não se unem a quem não tem sucesso”, explica.

Bati um papo bacana com José Barreiro, diretor do Optimus Primavera Sound - ou, pra diferenciar da edição de Barcelona, Primavera Porto - sobre a segunda edição do festival. Na pauta, o contato com os patrocinadores, a importância de organizar um evento que sabe o seu tamanho e a preocupação com a qualidade e com um bom lugar para receber as apresentações. Além disso, Barreiro falou sobre a tentativa do Primavera Porto de ser "um irmão mais novo, mas mais esperto" da festa catalã, e alfinetou o festival da família Medina: "O Rock in Rio é uma Disney World, um lugar que também tem música, mas é, acima de tudo, um produto". A íntegra da conversa você confere no Scream & Yell

Nenhum comentário:

Postar um comentário