23 de mai de 2014

O Pulso Ainda Pulsa

O pulso ainda pulsa - e em dose dupla. Fiz um exercício de escrita nesses últimos dias e botei uma cláusula internacional no meu currículo com a história de falar sobre o disco novo dos Titãs, Nheengatu, lançado há cerca de duas semanas através do YouTube. A primeira versão saiu em PT-BR, no Scream & Yell, com piadinhas e #vaitercopasim, e teve uma repercussão bem bacana (até agora, o texto teve 41 comentários). 

Na sequência, emendei uma versão PT-PT, com contextualizações e um cheirinho de alecrim, que saiu no Bodyspace.net, do André Gomes, para mostrar aos lusos porque este disco também pode ser relevante (como cá pode ser o dos Xutos & Pontapés, ou o do Linda Martini ou o dos Deolinda...). 

2014 acaba de ganhar um ingrediente para se tornar um ano ainda mais surrealista. Enquanto o País se divide entre o “não vai ter Copa” e o “vai ter Copa sim”, a polícia abusa de violência sem nem saber por onde e o estado mais rico da nação vive a ameaça de uma seca e as eleições prometem sujeira explícita, os Titãs voltam a fazer um disco que merece a sua audição, por mais improvável que isso possa soar. Depois de embalar a carreira no lixo com “Sacos Plásticos” (2009) e passar quase dois anos ganhando alguns tostões relembrando o clássico “Cabeça Dinossauro” (1986), o grupo resolve sair das cinzas artísticas e mostrar “Nheengatu”, um trabalho que não prima pela sua força poética, mas sim pela sua urgência e pela raiva.



Leia mais:
- 2011: A vida até parece uma festa: Titãs ao vivo em Santo André
- 2012: Que Não é o Que Não Pode Ser: Titãs toca Cabeça Dinossauro na Virada Cultural

Nenhum comentário:

Postar um comentário