11 de mar de 2013

15 bandas para baixar antes do fim da Trama Virtual

Criado em 2001, quando o primeiro grande serviço de compartilhamento de músicas começava sua derrocada e o mundo P2P buscava novas saídas, o Trama Virtual se notabilizou nos últimos anos por ser um dos mais importantes sites brasileiros sobre música, oferecendo a seus visitantes uma plataforma que combinava notícias, downloads gratuitos e a oportunidade de conhecer ou divulgar novos trabalhos. Responsável pela popularização de artistas como Cansei de Ser Sexy, Móveis Coloniais de Acaju e boa parte da turma do emo/happy rock (Fresno, Forfun, CINE) que tomou conta das paradas de sucesso no final da década passada, o site criado pela gravadora de João Marcelo Bôscoli vai encerrar suas atividades no dia 31 de março de 2013. 

É uma pena, mesmo considerando que há tempos o endereço já não cumpria tão bem sua função - em parte por falta de recursos da própria trama, em parte porque sua tecnologia vem sendo superada pelos serviços de streaming e pela evolução da velocidade de conexões, que permite hoje a um internauta baixar um disco em um décimo do tempo que ele levava para ter apenas uma canção em seu HD em 2001. 

Para mim, o Trama Virtual foi o local onde conheci e tive acesso à uma parte considerável da trilha sonora da minha adolescência. Pensando nisso, e considerando o acervo interessantíssimo que o site possui ligado até o fim do mês, o Pergunte ao Pop selecionou o trabalho de 15 bandas que merecem a sua atenção e a sua paciência de baixar música por música. Assim como nós, o pessoal do Na Mira do Groove, do Floga-se, do Scream & Yell, do Urbanaque, do Fita Bruta, do Rock in Press e do La Cumbuca também fizeram suas listas. Juntas, elas são mais que uma recomendação: são um grande panorama do que de melhor se fez no Brasil nos últimos quinze anos. Mãos à obra - e ao download! 

Cansei de Ser Sexy: uma das principais bandas do selo Trama Virtual, o grupo de Adriano Cintra e Luísa Lovefoxxx foi durante muito tempo a menina dos olhos da iniciativa de Bôscoli. Nos servidores, estão lá o EP de estreia CSS SUXXX e, dentro do projeto Álbum Virtual, o álbum de estreia da banda paulistana, que continha hits como "Alala", "Bezzi", "Off the Hook" e "Superafim". 

Columbia: com nome inspirado em uma canção do Oasis, os cariocas da Columbia têm um som que lembra o new acoustic movement (leia-se: o Travis) e que fez a alegria (ou consolou a tristeza) de muita gente no meio da década passada. "Marcela e Fernanda" é hit até hoje em casa. No Trama Virtual, dá para baixar os dois álbuns da banda, além do belo EP A Soma das Horas e covers divertidas do grupo para Beatles e Odair José. 

Drosophila: lembro que a primeira vez que ouvi falar de Pixies e Guided by Voices foi na comunidade do orkut da Drosophila, uma banda que receberia facilmente o nome de "Breeders santista" em 2003 ou 2004. Vale a pena conferir canções com refrões chicletudos como "Alta Ansiedade" ou "Pensou Errado". 

Ecos Falsos: liderada por Gustavo Martins, a Ecos Falsos é herdeira de duas vertentes importantes da música paulistana: a Lira Paulistana e o rock esperto do Ultraje ao Rigor. Seja na boa estreia Descartável Longa Vida (que tinha participação de Tom Zé e Fernanda Takai) ou no irregular Q.U.A.S.E. (que continha a inesquecível "Verão de 69"), a melhor pós boyband do mundo tem bastante a dizer. 

Faichecleres: vindos do Paraná, a Faichecleres é uma das melhores representantes do "rrrrrrrrock gaúcho" - isto é, aquele som cheio de riffs roubados dos Kinks e letras com trocadilhos de baixo calão. É rock para se divertir, com cerveja barata e muito suor - tente não rir ao som de "Aninha Sem Tesão" ou "Ela Me Quer Só Pra Me Ter". 

Hotel Avenida: espécie de supergrupo do underground curitibano, com Ivan Santos (oaeoz) e Giancarlo Rufatto na formação fixa, além de participações de Rubens K e Allan Yokohama (Terminal Guadalupe), a Hotel Avenida teve tempo apenas de fazer dois EPs - um em estúdio e um ao vivo, que contava com boas covers de "Meu Abismo Meu Abrigo" (Lobão) e "Nuvem de Lágrimas" (Fafá de Belém). Folk até a medula, é altamente recomendável ir atrás de petardos como "Nas profundezas do coração do fundo do copo", "Um Centavo" e a prima de Neil Young "Só o amor pode partir seus joelhos". 

Lasciva Lula: dona de um dos discos mais bonitos da década passada, Sublime Mundo Crânio, a carioca Lasciva Lula colocava Pixies, literatura infantil, Caetano Veloso, guitar rock e Secos & Molhados em um mesmo caldeirão, cravando faixas inesquecíveis como "Haagen Dazs", "A Nave de Noé", "Pra Matar a Fome" e "A Mesma Mulher". 

Luisa Mandou um Beijo: outra banda do Rio de Janeiro que contava com uma garota no vocal e fez muitos dias ensolarados mais felizes temporadas atrás é a Luisa Mandou um Beijo, cujas demos do primeiro disco podem ser encontradas no Trama Virtual. Atenção redobrada para "Anselmo", "Amarelinha" e "Bauhaus Today"!

Pública: já comparei a Pública a um cruzamento bem sucedido entre Milton Nascimento e a cena de Manchester no começo dos anos 1990 certa vez aqui. Não me arrependo: o grupo de Pedro Metz fez três grandes discos até hoje - e os dois primeiros estão na Trama Virtual. Se você não tiver paciência de baixar as faixas uma a uma, comece pela baladaça "Long Plays" - e tente não chorar se você é um amante da música. 

Pullovers: capitaneada por Luiz Venâncio, a Pullovers mostrava como poucos em suas canções a dor, o cotidiano e os amores do jeito paulistano de ser. Seja jogando "Futebol de Óculos", rendendo-se ao Rio ou dizendo que "O amor verdadeiro não tem vista para o mar", o grupo fez um dos melhores discos dos anos 00, Tudo que eu sempre sonhei. É ele que está disponível para download na Trama Virtual - e que se você ainda não ouviu, precisa ouvir IMEDIATAMENTE. 

Som da Rua: de carreira curta, encerrada pela morte prematura do vocalista e principal compositor Liô Mariz, o Som da Rua era uma daquelas bandas capazes de juntar a energia do rock alternativo com a simplicidade do pop - ou, trocando em miúdos, um encontro entre Norman Blake, Gerald Love e Lulu Santos. "Só Uma Canção", "Quanto Tudo Acaba" e "Tanto Faz" só não foram hits porque, como diz o ditado, o mundo não é justo e Teenage Fanclub não toca de 5 em 5 minutos no rádio. 

Superguidis: catapultada pela força das composições de Andrio Maquenzi (vocal) e Lucas Pocamacha (guitarra), a Superguidis deixou fãs de guitarras sujas e letras espertas saudosos quando resolveu se separar em maio de 2011. Após ouvir os três discos invejáveis deixados pela banda (Superguidis, de 2006, A Amarga Sinfonia do Superstar, de 2007, e Superguidis, de 2010), é fácil perceber que a Superguidis ainda tinha muita lenha pra queimar. 

Terminal Guadalupe: vinda de Curitiba, a Terminal Guadalupe é, em termos de retrato da realidade, a banda dos anos 2000 que mais se aproximou da herança deixada pela Legião Urbana, combinando letras políticas e amorosas com pontaria certeira ("Lorena Foi Embora", "Burocracia Romântica", "De Turim a Acapulco", "Como Se Fosse a Primavera" e a lista vai...). Entretanto, ao contrário do grupo de Renato Russo, o grupo do grande A Marcha dos Invisíveis contava com um instrumental seguro e esperto, que servia de base para os bons riffs de Allan Yokohama e as porradas na cara desferidas pelas letras de Dary Jr.

Walverdes: a banda de Gustavo Mini Bittencourt conta com uma grande ficha de bons serviços prestados ao rock independente nacional, tendo passado por diversas fases em sua longa história. Na Trama Virtual, dá para baixar toda sua discografia, incluindo o favorito da casa Breakdance, de 2009.

Wonkavision: duas partes doçura (por causa dos arranjos power pop cheios de teclados e guitarras grudentas e pelos refrões cativantes) e uma parte ironia (pelas letras espertas saídas da cabeça de Will Prestes), a Wonkavision foi uma das bandas mais divertidas da década passada, com destaque para o álbum Wonkainvasion, de 2004, produzido por John Ulhoa. Na TramaVirtual não dá para baixá-lo, mas é possível ouvir curiosidades como a demo de 2002 gravada pela banda e também uma versão em inglês de Wonkainvasion, gravada para o mercado japonês.

Nenhum comentário:

Postar um comentário